Um tema muito relevante e preocupante para as gestantes são as suas crises de enxaqueca durante a gravidez. Na maioria das mulheres, a enxaqueca melhora progressivamente durante a gestação, geralmente com piora dos sintomas no pós-parto. Porém essa regra não se encaixa a todas e precisamos orientá-las e tratar de forma adequada, minimizando os riscos para a mãe e o bebê.

Para as crises, deve-se sempre almejar terapias não medicamentosas como biofeedback, massagens, compressas, atividades relaxantes. No entanto, quanto aos medicamentos, o paracetamol é o medicamento de escolha, podendo ser feito uso esporádico e quando necessário do Sumatriptano. Pode-se lançar mão de bloqueios periféricos e miofasciais como medidas auxiliares com o especialista.

NÃO recomenda-se o uso de anti-inflamatórios! Principalmente, no primeiro e terceiro trimestres! Nunca deve-se usar derivados ergóticos (que contenham ergotamina)! Quanto à profilaxia, já devemos orientá-la desde o planejamento da gravidez. Orientamos que a gestante não deve usar Ácido Valpróico ou Topiramato como profilático durante a gravidez pelo risco de malformações, são classe D como classificação de risco.

Fundamental sempre tentar evitar os gatilhos através da alimentação saudável e balanceada, evitar o jejum prolongado, dormir bem, hidratar-se, fazer atividades físicas leves e orientadas por profissionais. Pela complexidade do quadro, procure um especialista para condução da sua Enxaqueca e não se automedique!