A síndrome dolorosa miofascial está presente em cerca de 90% dos pacientes com dor crônica. Extremamente comum e ainda subdiagnosticada.

Pode ser primária, a própria doença ou secundária a alguma outra dor, como a própria dor neuropática (ex: Hérnia de disco).

Esta síndrome responde muito bem a terapias físicas (Calor, Onda de choque, Agulhamentos) e a Reabilitação com o Fisioterapeuta.

Sendo crônica, necessitará de moduladores de dor orais.

Compartilhe nas suas redes: